Manual: ISO ou ASA

Para acabar com aquela sensação de essa foto ficou mais escura do que a outra e de achar que está lendo grego quando lê a sigla ISO ou ASA (que representam a mesma coisa), eu fiz esse post para tirar todas as dúvidas. O ISO tem que ser escolhido por você na hora de comprar o filme, geralmente são informados na própria embalagem. A sigla significa ” International Organization for Standardization”, em português é Organização Internacional para Padronização,  e as velocidades do filme são dadas de forma numérica (ISO 100, 400…) que servem para indicar a luz necessária para queimar o filme gerar a foto. A atenção para isso é muito importe, ele vai afetar diretamente nas suas fotos em relação à claridade. Na foto abaixo podemos ver melhor os números nos filmes que representam o tipo de ISO, que nesse caso é o 400.

Se o ISO for baixo ele captará pouca luz, por isso procure ter bastante luz quando for tirar a foto para que ela fique nítida. Quando maior ele for, maior a sensibilidade do filme à luz, o que é ótimo para ambiente mais escuros. Os mais comuns variam de 100 à 800. Um exemplo, com o ISO de 200 não pode tirar fotos em locais fechados com pouca luz e sem flash, como não é recomendado também, tirar em dias nublados com pouca luminosidade. O resultado podem ser um foto bem escura. O ISO entre 100 e 300 são os baixos, 400 e 500 são médios e acima de 500 são altos.Mas isso também não quer dizer que um ISO muito alto é vantajoso, se tiver bastante luz, a imagem pode sair clara demais. Apesar do cuidado e atenção que temos que ter com o tipo de ISO que usamos, ele não nos impede totalmente de tirar nossas fotos. Existem meios de equilibrar ele e a necessidade de luz, como o flash e o tempo que o obturador fica aberto.

Manual: formatos de filmes

Uma coisa que muitas pessoas não sabem é que existem vários formas e tamanhos diferentes de filme. Analisar o tipo de filme que sua câmera usa é bem importante, ninguém quer comprar uma e depois não conseguir achar o filme ideal para ela. Mas, a questão de qual máquina usa qual filme é assunto para outro post. Nesse aqui vamos falar sobre as principais diferenças entre eles.

  • Cartucho de Filme 110:

    Cada cartucho rende 24 fotos e geralmente são encontrados com ISO de 100,200 e 400. Ele foi introduzido pela Kodak para fotos de câmeras de bolso. Há uma versão menor dele, Filme 126, a película tem 16mm de largura. Esses filmes são julgados como raros por serem difíceis de se achar e por não permitirem ampliações muito grande.
  • Filme 120:

    É outro filme introduzido pela Kodak, e é chamado de médio. Sua película é de 60mm de largura. O ISO é bastante variado pode achar velocidades mais comuns, como a de 100, 400, 800, mas também possivel achar as mais incomuns, 160,50,64. Geralmente os rolos de filme 120 rendem 16 fotos no tamanho de 16×4,5 ou 12 imagens de 6×6, mas isso pode variar de acordo com a câmera. Esse filme vem enrolado entorno de um carretel e é protegido por um papel protetor que fica envolta. Essa folha protetora tem marcações dos frames, marcas de quadrados que representam os formatos das imagens.
  • Filme 135 ou 35mm:
    É o mais conhecido e comum. Sabe aquele q você sempre tinha em casa dentro de um potinho preto ou cinza e encontrava em todo lugar? É esse mesmo. Variam de ISO, exposições, tipos e sensibilidades. Como o próprio nome já diz, ele tem 35mm de largura. Ele rende 36 poses, mas também podem ser achados rendendo 24 e 12 imagens. Apresenta buraquinhos na horizontal para poder ser preso nas câmeras.

O que é Lomografia?

Acho que responder essa pergunta é um ótimo jeito de começar o blog, não é verdade? Todos que pegaram a década de 90 sabem o que são câmeras analógicas. Rebobinar, olhar no quadradinho, revelar e comprar o filme, tomar cuidado pra não cortar as cabeças. Era rotina quando se trata de fotos. Mas a Lomografia não significa apenas o ato de fotografar com uma câmera analógica.
Imagem

É um movimento, um estilo de vida. Você abre mão de poder ver sua foto assim q tirada, de já divulgá-la nas redes sociais e de colocar seus filtros favoritos. É a curiosidade e a ansiedade de levar seu filme para revelar e ver o resultado. É ficar na expectativa de ver como suas fotos vão ficar. Não é ter várias fotos soltas no computador e esquecer que elas existem. Poder ter vários álbuns de fotografia fofos espalhados pela casa e poder mostrar ao vivo, sem ter uma tela entre a foto e você, suas fotos. Os efeitos de “foto antiga”, saturação de cor e vazamentos de luz criados por aplicativos é feito naturalmente nas câmeras analógicas, a graça e a surpresa é essa. Nunca se sabe como a imagem vai ficar.

E como todo bom movimento também tem suas regras, são só 10 e bem fáceis.
Imagem

  1. Leve a sua Lomo para onde for.
  2. Fotografe a qualquer hora do dia ou da noite.
  3. Lomografia não interfere na sua vida, é parte dela.
  4. Aproxime-se o mais possível do objeto a ser fotografado.
  5. Não pense.
  6. Seja rápido.
  7. Você não precisa saber antecipadamente o que vai fotografar…
  8. …Nem posteriormente.
  9. Não fotografe com os olhos.
  10. Não se preocupe com as regras.

Imagem

E para finalizar…Um pouco de historia não faz mal a ninguém, né? Em 1991, a Lomografia em si começou a criar forma. Dois jovens encontraram a máquina Lomo, em Praga, e começaram a fotografar e às vezes sem nem ao menos olhar. Os dois se apaixonaram pelos resultados, as cores, as luzes e a qualidade. Desse jeito, a Lomo se espalhou rapidamente entre os jovens. Já em 1995 a Sociedade Lomográfica organizou uma grande venda de Lomos para afirmar a Lomografia e impedir seu desaparecimento.